Reuniões e Atividades

Reuniões públicas e passes

Semana: 29 de Maio a 03 de Junho de 2017

Tema da Semana:

O ARGUEIRO

A TRAVE NO OLHO

O Evangelho segundo o Espiritismo (Cap. X – Bem-aventurados os que são misericordiosos itens 9 e 10) Allan Kardec

O Evangelho Segundo o Espiritismo

9. Como é que vedes um argueiro no olho do vosso irmão, quando não vedes uma trave no vosso olho? – Ou, como é que dizeis ao vosso irmão: Deixa-me tirar um argueiro do teu olho, vós que tendes no vosso uma trave? – Hipócritas, tirai primeiro a trave do vosso olho e depois, então, vede como podereis tirar o argueiro do olho do vosso irmão. (S. MATEUS, 7:3 a 5.)

10. Uma das insensatezes da Humanidade consiste em vermos o mal de outrem, antes de vermos o mal que está em nós. Para julgar-se a si mesmo, fora preciso que o homem pudesse ver seu interior num espelho, pudesse, de certo modo, transportar-se para fora de si próprio, considerar-se como outra pessoa e perguntar: Que pensaria eu, se visse alguém fazer o que faço? Incontestavelmente, é o orgulho que induz o homem a dissimular, para si mesmo, os seus defeitos, tanto morais, quanto físicos. Semelhante insensatez é essencialmente contrária à caridade, porquanto a verdadeira caridade é modesta, simples e indulgente. Caridade orgulhosa é um contra senso, visto que esses dois sentimentos se neutralizam um ao outro. Com efeito, como poderá um homem, bastante presunçoso para acreditar na importância da sua personalidade e na supremacia das suas qualidades, possuir ao mesmo tempo abnegação bastante para fazer ressaltar em outrem o bem que o eclipsaria, em vez do mal que o exalçaria? Por isso mesmo, porque é o pai de muitos vícios, o orgulho é também a negação de muitas virtudes. Ele se encontra na base e como móvel de quase todas as ações humanas. Essa a razão por que Jesus se empenhou tanto em combatê-lo, como principal obstáculo ao progresso.

Sugestão bibliográfica:

- Fonte Viva – Busquemos o melhor, Cap. 113 – Emmanuel (F. C. Xavier), FEB;

- Ideias e Ilustrações – Num domingo de calor – Cap. 30 – Espíritos Diversos ( F. C. Xavier), FEB;

- Alvorada Cristã – O mandamento vivo– Cap. 19 Neio Lúcio (F. C. Xavier), FEB;

- Evangelho dos Humildes – Cap. VII, vv. 3, 4 e 5- Eliseu Rigonatti - Pensamento;

- Jesus e o Evangelho à Luz da Psicologia Profunda – Julgamentos - Joanna de Angelis (- Divaldo P. Franco).


Página de apoio:

Não julgar

Evangelho e Vida

“Não julgueis para não serdes julgados.” – Jesus (Mateus – 7: 1.) Selai vossos lábios antes de proferirdes a palavra de acusação, pois não sabeis o que a vida vos reserva na continuidade dos dias que ainda tendes para viver.

A peça acusatória exige reflexão e defesa.

Nem sempre os gestos que julgamos merecerão tão fortes libelos, se viermos a conhecer o móvel que os inspirou; e, mesmo que fossem os mais terríveis ao olhar humano, lembremos que haverá sempre defesa na Misericórdia Divina, porquanto, apesar de Sua rigorosa justiça, Deus sabe que, acima de tudo, as almas são frágeis e ignorantes.

A ignorância é mais fácil de ser vencida, desde que existam corações piedosos que revelem a Verdade libertadora, deixando a cada uma livre vontade de libertar-se ou não.

Mas a fragilidade... Ah! A fragilidade da alma humana!

Esta é a mais difícil de ser vencida, porque não depende somente dos clarões da Verdade, mas do apoio compreensivo de outras almas, na construção dos alicerces da fé renovadora.

A Fé! Esta conquista que só realiza no cadinho do sofrimento, das lágrimas vertidas na solidão das noites insones, quando então a alma ergue os olhos para o Céu e diz:

Ó! Meu Pai! Onde estás? Socorre-me, Ó! Tu que criaste o Universo onde sou apenas uma migalha perdida em sua imensidão!

É, neste momento, então, que soa para a alma, o primeiro despertar da Fé, que lhe dará forças e abrirá à visão uma nova vida, com perspectivas claras de reajuste dentro da Lei.

Selai, pois, vossos lábios, antes de proferirdes a palavra de acusação! Examinai-vos primeiramente!

Se estais mais esclarecidos, desfraldai a bandeira luminosa da Verdade e que a vossa palavra seja a que liberta, e, se vos sentis fortes suficiente na fé que vos sustenta, impedindo-vos a novas quedas, estendei vossas mãos caridosas e soerguei os que, frágeis, só precisam de um pouquinho de amor para firmarem seus pés no caminho redentor.

Não julgueis!

Mais pesado será o julgamento dos Céus para aqueles que, conhecendo, tornam-se avarentos da Verdade, ou que, sendo fortes, tripudiam sobre os caídos.

Examinai-vos e, antes de acusardes, curvai reverente a vossa fronte e repeti as palavras de Francisco de Assis:

Senhor, fazei que eu possa compreender, mais do que ser compreendido; amar, que ser amado!...

E sede, onde estiverdes, em nome do Senhor, um instrumento de Sua Alegria e de Sua Paz!

Antonio de Aquino

(Do Livro: Evangelho e Vida, Espíritos Diversos - Brunilde M. do Espírito Santo, LT)

Horários

Sede (Copacabana)
quarta: 08h30 e 19h30
sexta: 16h (novo horário)

Núcleo Paulo e Estêvão
segunda: 14h, 17h30min, 19h e 20h30min
terça: 08h30min
quarta: 14h
sexta: 14h, 18h e 20h

Núcleo Emmanuel (Jacarepaguá)
terça: 14h
quarta: 20h

Casa de Renato (Austin)
sábado: 17h


Expositores previstos da semana

Sede (Copacabana) 31/05 (quarta) - 08h30min – João Aparecido
31/05 (quarta) - 19h30min – João Aparecido
02/06 (sexta) - 16h - Lucas Antunes

Núcleo Paulo e Estêvão
29/05 (seg.) - 14h – Lúcia Navarro
29/05 (seg.) - 17h30min – João Aparecido
29/05 (seg.) – 19h – João Aparecido
29/05 (seg.) – 20h30min – João Aparecido
30/05 (ter.) - 08h30minh – Narcisa Furtado
31/05 (qua.) - 14h – Nietta C.Branco
02/06 (sex.) - 14h – Marilena Kfouri
02/06 (sex.) - 18h - Mariana Lutterbach
02/06 (sex.) - 20h - Mariana Lutterbac

Núcleo Emmanuel (Jacarepaguá)
30/05 (terça) - 14h – Ana Darienzo
31/05 (quarta) - 20h – Angela Célia

Casa de Renato (Austin)
03/06 (Sábado) – 17h – Patrícia Camurugy

OBS.:

Para consultar a programação do mês, completa, acesse o NRI: Novos Rumos Informativo, neste mesmo site.

Para consultar as publicações das reuniões publicas anteriores, acesse aqui.